Karatê Kid (2010)

27 ago

Más notícias: Karatê Kid 2010 não é um filme sobre karatê. Na verdade, apesar de seu título, é um filme sobre Kung Fu. Pois é, apesar dessa gafe lançada logo de cara, é um belo filme de Kung Fu. O título só serviu mesmo para atrair os fãs do mega sucesso homônimo de 1984. Podia-se esperar o pior de um filme dirigido por Harald Zwart, um cineasta que tem como título mais famoso em seu currículo o medonho A Pantera Cor-de-Rosa 2 (Pink Panther 2, 2009). Mas apesar dos preconceitos em cima dessa nova produção do diretor, a arte final é surpreendentemente positiva. Karatê Kid soube trazer tudo de bom de seu antecessor, adicionando a modernidade de nosso século a seu favor.

O enredo não é lá muito diferente dos outros em sua essência, mas o filme em geral é bem diferente e bastante ímpar. Uma das maiores novidades é ele ter sido filmado na China, usando e abusando dos famosos cenários exóticos de lá, e nem preciso dizer que a Grande Muralha está incluída entre as mais belas cenas. É uma das poucas vezes que vemos Estados Unidos e China juntos numa produção cinematográfica, quebrando barreiras culturais e políticas. Aliás, as diferenças culturais são bem usadas na hora de criar boa parte do enredo, levando-se em consideração a berrante diferença de um rapaz negro americano num país asiático e reservado.

Diferente das outras continuações, nessa não há vestígios do famoso personagem Senhor Miyagi, o único personagem que prevaleceu durante todas as outras sequencias. Isso foi até que esperado, considerando a diferença de países e de lutas. Enfim, nesse filme conferimos a história do pré adolescente Dre Parker, muito popular em sua cidade americana, mas que é obrigado a mudar com sua mãe para nada menos longe que a China, em função do trabalho dela. Logo de cara Dre se encanta por uma colega de sala, mas as diferenças pesarão num possível romance. Para piorar, ele ainda terá de lidar com uma gangue de sua sala que pratica kung fu com habilidade máxima, dando-lhe uma verdadeira surra de boas vindas. Mas determinado como Dre é (e como todo o protagonista desse tipo de filme deve ser), isso não ficará barato, principalmente quando o garoto descobre que o zelador de seu prédio, Han, é na verdade um sábio nas artes marciais. Através de Han, Dre aprenderá a se auto-descobrir e a superar seus medos e problemas, usando de todo seu natural “gingado” do hip hop.

Assim como todos os filmes dessa cine-série, a luta é um praticamente um personagem concreto, que servirá de ajuda ao nosso protagonista na hora de crescer e aprender. Por trás de tudo vemos o ator mirim Jaden Smith aproveitando ao máximo seu sobrenome na hora de provar seu talento também para crescer, aprender e, principalmente, “aparecer”. Não é de se surpreender que Will Smith e sua esposa estejam por trás da produção desse filme, dando grande força a carreira de seu pequeno pupilo. Jaden também faz uma ponta na trilha sonora, dividindo a voz com o popular Justin Bieber na canção principal da obra (isso poderia muito bem ter sido deixado de fora, mas nada melhor que um ídolo da música adolescente para atrair multidões ao cinema). A presença de Bieber na trilha sonora chega a ser outra homenagem ao filme original da década de 1980, já que este também tem uma trilha sonora regada com bandas famosas da época, sendo esta a única razão para aceitar a presença do cantor na produção musical.

Apesar das boas intenções e das desesperadas tentativas de se esquivar dos clichês de filmes sobre superação por meio de atividades físicas, Karatê Kid não passa de uma bem-vinda homenagem. Apenas isso e nada mais. Ele cai sim em muitos clichês, algumas cenas de luta são planejadinhas demais e o ego do ator principal muitas vezes atrapalha em seu desempenho. Jackie Chan está caricato em seu personagem, porém bastante divertido, sendo outra peça na hora de atrair grandes bilheterias.

Não se deve assistir Karatê Kid com a intenção de se maravilhar com a mesma intensidade de quando assistiu ao original, pois isso causaria decepção. Dentro de seus limites o filme é um bom passatempo e serve como uma singela homenagem aos filmes infanto- juvenis de outrora. Dizer mais que isso seria exagero. Bem feitinho, com uma fotografia incrivelmente bem feita, pode ser considerado o melhor no subgênero do ano até agora. Uma boa surpresa para fãs e para leigos.

2 Respostas to “Karatê Kid (2010)”

  1. Rafael Oliveira 27/08/2010 às 10:10 PM #

    Ai, que ansiedade!

  2. Andrea 04/11/2010 às 8:57 AM #

    Amei o filme a historia em si é muito boa, prometeu tudo que vimos no treiler até mais um pouco, não é a toa que levou tantas pessoas ao cinema, otimo roteiro, atores então sem comentario quem tem talento tem mesmo que aparecer seja filho de quem fro e se ele nasceu para brilhar tanto quanto o pai que va fundo ja vimos que sua estrela esta pronta para encendiar….
    Vai fundo Jaden…Jackie Chan é o maximo, dispensa comentarios…
    Abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: