O Exterminador do Futuro: A Salvação (2009)

30 set

Para minha humilde pessoa, a série de filmes “Terminator” só tem três filmes e não quatro, como foram oficialmente lançados. E quais são os três filmes que considero os únicos? “The Terminator”, “Terminator 2: Judgment Day” e este O Exterminador do Futuro: A Salvação, que é um filme maravilhoso e que engana os mais preconceituosos (como eu), ainda mais em uma época de lançamento quando só aparentava ser um simples Blockbuster com explosões e nada mais a acrescentar a série. Tinha também o fato de ser dirigido por McG (diretor de As Panteras). Portanto, admito que tive tal preconceito e não tive coragem de ir ao cinema, pois acreditava que encontraria uma grande coisa ruim e que só ficaria bravo após o término da sessão. Pois bem, quase dois anos após a exibição deste exemplar da série nos cinemas decido comprar o DVD e assistir em casa, escondido de outros olhares e ver se acharia ruim, ou se gostaria do filme mesmo se fosse ruim. Porém eu me enganei desde o primeiro indício de preconceito, e me deparei com o terceiro melhor filme da série (de quatro) que basicamente se traduz em tela como um filme de fã pra fã.

Mcg chega a assustar ao conseguir fazer este filme, pois mesmo depois do fim eu consegui gostar de tudo, mas tudo mesmo (até dos clichês clássicos). O filme nem de longe é perfeito, e muito menos uma obra-prima como o segundo filme da série, e tão pouco bom como o primeiro, mas consegue ser fiel a série, sem rasgar roteiros e de forma divertida, descontraída e sem grades pretensões, a não ser as de entreter um grande público. E o fez, arrecadando US$125.322.469 só nos E.U.A no ano que fora lançado. E se me pedissem pra resumir o filme em uma palavra, sem nenhum tipo de raciocínio lógico eu diria: perfeito! Mas como uso a lógica, resumo ele em algumas palavras soltas como: divertido, explosivo, fiel…

De todos os três primeiros filmes da série, todos contêm flashfowards do futuro, mas nenhum havia retratado unicamente este, que acabou ficando para o quarto filme da franquia. E não era tudo que um fã gostaria de ver? O terceiro filme é justamente execrado por mim por que não acrescenta nada de novo a série (a não ser grana), e quando este quarto chega sem acrescentar muito a história também, pois apenas conta como as coisas acontecem no futuro, ele acaba sendo melhor que o terceiro pois não é inútil, já que praticamente todos os fãs da serie de filmes criada por James Cameron sempre quiseram entrar mais a fundo ao futuro onde John Connor é um líder salvador e não um jovem emo revoltado ou medroso.

E que grata surpresa, já aos primeiros minutos (temos um prólogo antes) de projeção nos deparamos com John Connor (Cristian Bale) todo musculoso comandando uma equipe imensa e sendo o único a sobreviver a missão designada. Ai sim é o John Connor mito, criado pelo Kyle Reese la no primeiro filme, o John Connor que ainda está em fase de amadurecimento, mas que já mostra sinais de liderança (nem sinais são,ele é líder da área em que mora, por assim dizer). E é com esse John Connor que nos deparamos e vemos durante o filme, só que a partir disso já temos um dos maiores defeitos deste, que acrescenta um robô novo a série de máquinas e que acaba por se tornar o protagonista e obscurece por vezes o personagem de Cristian Bale. Este tal robô é Marcus Wright (Sam Worthington) e que puxa todo drama (não muito complexo, fato) do filme para si e que extrai mais tempo para si do que John Connor, mas nada que interrompa a boa diversão do filme, até porque é um defeito comum em continuações, porém aqui pelo menos o personagem esquecido por vezes tem seus momentos, e que momentos.

Então o filme segue, baseando-se em cima do drama do personagem de Sam Worthington (ator mais pop dos últimos anos) e alterna nos momentos de ação fantásticos. Mas nunca ultrapassa níveis de fidelidade aos filmes anteriores, pois até na ordem das cenas acontecerem, quem é fã perceberá, tudo nos remete aos dois primeiros filmes. São momentos de “descobrimento” da trama, quem é o vilão e quem é o mocinho, trabalho de personagens e “bum”, explosão ou morte e por ai segue. E o legal de se observar é que a franquia “Terminator” tem detalhes que James Cameron contruiu semrpe de forma perfeita, como a “nunca” morte do vilão. No primeiro filme, o Exterminador explode junto de um caminhão de combustível (observem o easter egg neste quarto filme do caminhão de combustível), porém este se levanta e sai andando apenas sem a pele que recobria seu exoesqueleto. Logo após isso, já na fábrica (todos os filmes da franquia terminam em uma fábrica), Kyle Reese explode o Exterminador, partindo-o assim pela metade, porém este nos dá um susto e continua atrás de Sarah Connor até que esta o destrua de vez. No segundo filme, a prova viva é o T-100, que nunca morre mesmo, leva bala, leva bala de 12, se parte no meio, derrete, enfim, semrpe retorna a perseguição dos personagens principais até que seja exterminado. Neste quarto filme a chuva de Easter egg se completa quando um T-800 (robô que volta ao passado no primeiro filme para exterminar Sarah Connor, e depois retorna para ajudar a mesma) é banhado em aço derretido, ou lava (whatever) e se ergue (isso não acontece no segundo filme, ao derreterem acaba o filme) e depois recebe uma chuva de nitrogênio de uma tubulação que ocasiona um choque térmico gigantesco e mesmo assim, este consegue se livrar de tudo isso e meter uma barra de ferro enorme num dos protagonistas.

E O Exterminador do Futuro: A Salvação é isso, fiel e repleto de easter Eggs, filme pra fã mesmo, como foi mais recentemente Star Trek do J.J Abrahams (que nem fã da série clássica era, porém fez um filme pra fã do mesmo jeito), easter eggs esses que deixam qualquer fã maluco, ou pelo menos orgulhoso, só pra encerrar o texto deixarei algumas frases que estão espalhadas pelo filme e que somente os fãs entenderão a importância delas. Ai vai: “I’ll be back”,”Come with me if you want to lave”, e deixando de lado as frases só pra não deixar de citar uma das surpresas que mais gostei: aqui aparece quem ensinou Kyle Reese a amarra a 12 para que não a puxem de suas mãos. É isso, filme maravilhoso, cenas bem feitas que a série merecia e tudo que feito para fãs malucos ou para pessoas que querem se divertir.

3 Respostas to “O Exterminador do Futuro: A Salvação (2009)”

  1. Renan Marino 01/10/2010 às 1:26 AM #

    Acho este aqui o pior da série. Mas é muito bom.

  2. Rafael Oliveira 02/10/2010 às 2:54 AM #

    Concordo que seja o pior, mas é fato que ele acrescenta algo para a série, principalmente no roteiro, que leva a hisória a um patamar diferente, e muito esperado pelos fãs. Se visto como um mero filme de ação, é ainda melhor.

  3. Edward Kollision 02/10/2010 às 3:06 PM #

    É melhor que o 3°.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: