Tropa de Elite 2 (2010)

22 out

Filme pessimista, direto, frio e pré-apocalíptico. Simples assim, nada mais pra acrescentar nas definições desta obra-prima que é o segundo Tropa de Elite, um filme longo, porém rápido e que atrai multidões sem esforços maiores, afinal, o primeiro filme ficou encarregado desse trabalho. E arrecadando milhões em canário nacional, esta segunda parte do filme tido como fascista e praticamente todas as vezes sendo controverso à visões elitistas esfrega na cara do público com o que é que todos nós estamos lidando. O filme não é inovador em sua narrativa, tanto é, que homenageia todo o antecessor nesse quesito. O filme não traz denúncias novas, mas expõe todas as velhas de forma aberta e legível para qualquer pessoa. Os tapas e socos do original são substituídos por documentos e politicagem. Capitão Nascimento já não é mais capitão e opera na inteligência do Estado. Matias não foi o substituto que Nascimento sempre sonhou e Fábio continua o mesmo.

O filme narra uma sequência de fatos que denunciam as terríveis e reais obras magníficas de corrupção dentro do Rio de Janeiro (também conhecido como Brasil). E é basicamente isso, corrupção,e dessa vez não só na polícia, mas busca o pessoal maior, os políticos, os chefões de tudo. E o filme, como em Cassino, de Martin Scorcese serve como agente denunciador ou apenas “visor” para que nós fiquemos ciente do que ocorre e sempre ocorreu. O filme é ficcional como os créditos iniciais avisam de cara, porém trás toda verdade consigo. E em momento algum se torna uma sequência desnecessária, até porque, serve de complemento para justificativa do primeiro. Pois na primeira obra os vilões que tem todo o foco são traficantes, playboys e policiais, neste segundo, o enfoque não desgruda dos Governadores, Deputados e família, deixando a dinâmica da narrativa que já era boa no primeiro, magnífica aqui. É um dinamismo que lembra a montagem de Os Infiltrados (outra obra de Scorcese) que com sua alternância simultânea de cenas para acontecimentos deixa a obra toda rápida e gostosa de se ver, o que acontece só que sem o verbo “gostar” e sim “pesar”, pois o peso que a obra ganhou nessa sequência é algo assustador. Num determinado momento, observamos em um PG a câmera se aproximar lentamente de dois homens q terminam de queimar dois corpos, um ajeitando uma carcaça e o outro arrancando dente por dente de um crânio chamuscado. E daí eu volto a narrativa, que segue dinâmica, porém pesadíssima.

O filme, em homenagem ao primeiro, começa com o meio, e na metade do filme agente descobre como esse “meio” aconteceu de verdade. E é um “meio” muito mais magnífico que o do primeiro filme, onde este servia apenas para nos mostrar como Matias e Neto entrariam para o Bope, aqui, serve para nossos nervos explodirem e nos levarem a melhor cena da obra. E é nesta cena que toda nossa fúria é descarregada, todas as nossas angústias e descontentamentos esvoaçam junto com os punhos de Nascimentos. Como disse anteriormente, a obra não tem tapas e socos como o anterior e isso serve para criar um nível de angústia maravilhoso que, quando o escape estoura, qualquer um sabe que toda a raiva terá um canal satisfatório para ir, o mesmo acontece em Taxi Driver (Scorcese novamente), pois o protagonista do filme não ataca nunca, porém, nos últimos momentos da obra nos deliciamos com uma carnificina que nos tranquliza e coloca nossos nervos de volta a caixa da pressão. Aqui, a porrada é nula também, diante de tanta desordem e bagunça, mas por alguns segundos, tudo é descarregado em uma pessoa da alta classe, uma pessoa que não contribui com nada a não ser a contínua falta de avanço do país, uma pessoa que está no poder para ajudar e que apenas “se ajuda”. E é com apenas alguns socos que Tropa de Elite 2 mostra que o cinema brasileiro pode ser feito não só de palavrões e favelas, e sim de denúncias e arte!

4 Respostas to “Tropa de Elite 2 (2010)”

  1. Rafael Oliveira 23/10/2010 às 1:37 AM #

    Tava pensando em deixar esse pro DVD, já que não estava muito confiante acerca dele. Mas depois de tantos elogios que ele vem recebendo, talvez eu mude de idéia.

  2. Sérgio 27/10/2010 às 3:46 PM #

    Se é melhor que o primeiro, eu não sei, mas que é uma puta duma obra-prima brasileira, isso não se nega.

  3. Luan 27/10/2010 às 3:49 PM #

    Filme pra ser aplaudido de pé.

  4. Felipe 27/10/2010 às 3:51 PM #

    Foi muito além do que eu esperava. Perfeito!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: