Arquivo | Notícias RSS feed for this section

“A Origem” conquista os críticos de Ohio

7 jan

O Central Ohio Film Critics, conhecido prêmio interno dos Estados Unidos, premiou A Origem nas suas principais categorias. Ano passado, o filme Amor sem Escalas foi o grande vencedor da premiação. Veja a lista completa:

 

 

MELHOR FILME
1. A Origem
2. A Rede Social
3. O Discurso do Rei
4. Cisne Negro
5. Toy Story 3
6. Bravura Indômita
7. 127 Horas
8. O Vencedor
9. Inverno da Alma
10. Exit Through the Gift Shop

MELHOR DIRETOR
Christopher Nolan, A Origem
Runner-Up: David Fincher, A Rede Social

MELHOR ATOR
James Franco, 127 Horas
Runner-Up: Colin Firth, O Discurso do Rei

MELHOR ATRIZ
Natalie Portman, Cisne Negro
Runner-Up: Jennifer Lawrence, Inverno da Alma

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Geoffrey Rush, O Discurso do Rei
Runner-Up: Christian Bale, O Vencedor

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Hailee Steinfeld, Bravura Indômita
Runner-Up: Amy Adams, O Vencedor

MELHOR ELENCO
O Vencedor
Runner-Up: Bravura Indômita

ATUAÇÃO DO ANO (por um exemplar conjunto de trabalho)
James Franco, 127 Horas, Uma Noite Fora de Série, Comer Rezar Amar, Howl
Runner-Up: Chloe Moretz, Diário de Uma Banana, Kick-Ass, Deixe-me Entrar

ARTISTA REVELAÇÃO
Chloe Moretz, Diário de Uma Banana, Kick-Ass, Deixe-me Entrar
Runner-Up: Jennifer Lawrence, Inverno da Alma

MELHOR FOTOGRAFIA
Roger Deakins, Bravura Indômita
Runner-Up: Matthew Libatique, Cisne Negro

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Aaron Sorkin, A Rede Social
Runner-Up: Michael Arndt, Toy Story 3

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Christopher Nolan, A Origem
Runner-Up: Mark Heyman, Andrés Heinz e John McLaughlin, Cisne Negro

MELHOR TRILHA SONORA
Hans Zimmer, A Origem
Runner-Up: Trent Reznor e Atticus Ross, A Rede Social

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Exit Through the Gift Shop
Runner-Up: Joan Rivers: A Piece of Work

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Mother – A Busca Pela Verdade
Runner-Up: A Fita Branca

MELHOR ANIMAÇÃO
Toy Story 3
Runner-Up: Meu Malvado Favorito

MELHOR FILME NEGLIGENCIADO
Sentimento de Culpa
Runner-Up: Scott Pilgrim Contra o Mundo

 

Fonte: Cineplayers

 

Anúncios

Belas Artes vai fechar as portas

6 jan

O Cine Belas Artes, tradicional cinema de rua de São Paulo localizado na esquina da Consolação com a Paulista, vai fechar as portas em fevereiro. O proprietário, Flávio Maluf, pediu o terreno de volta no final de dezembro a fim de construir uma loja, que ficará ao lado da Estação Paulista do Metrô.

O Belas Artes é conhecido pelo público paulistano há quase 70 anos, principalmente por ter sido o local onde diversosdiretores mundialmente reconhecidos escolheram para estrear seus filmes. “Ano Passado em Marienbad” de Alain Resnais, por exemplo, foi um desses lançamentos.

Em março de 2010, quando o banco HSBC interrompeu o patrocínio, veio a público a ameaça de que o cinema de rua poderia fechar. A população da cidade de São Paulo se mobilizou e milhares de pessoas participaram da campanha no Twitter para encontrar um novo patrocínio para o Belas Artes. Além deles, vários restaurantes lançaram promoções a fim de conseguir fundos para salvar o cinema. A campanha deu certo e em novembro do ano passado, o dono André Sturm, anunciou que em breve um novo contrato seria fechado com uma outra empresa e também com Flávio Maluf. Este, no entanto, não cumpriu o que estava combinado.

Assim, fecha as portas uma das poucas fontes de cultura que restaram em São Paulo. No lugar, mais uma fonte de consumo vai abrir, muitíssimo bem localizada numa das rua mais movimentadas da cidade e bem de esquina com a Avenida Paulista, ao lado de uma estação do metrô. Só tenho a lamentar…

MAS VOCÊ AINDA PODE IMPEDIR O FECHAMENTO DO BELAS ARTES!

Assine este abaixo assinado e divulgue por ai. Não custa nada. Um pequeno gesto seu contribui e muito para que o Cine Belas Artes continue funcionando.

Cinema Audio Society divulga indicados

6 jan

O CAS, Cinema Audio Society, anunciou hoje a sua lista de cinco nomes ao prêmio de Melhor Mixagem de Som. É o principal termômetro para a categoria de mesmo nome do Oscar. Os indicados são:

 

Melhor Mixagem de Som:

 

"CISNE NEGRO" de Darren Aranofsky

"A ORIGEM" de Christopher Nolan

"BRAVURA INDÔMITA" de Ethan e Joel Coen

"ILHA DO MEDO" de Martin Scorsese

"A REDE SOCIAL" de David Fincher

Art Directors Guild divulga seus indicados

5 jan

O Art Directors Guild, mais conhecido como Sindicato dos Diretores de Arte, anunciou hoje a sua lista de indicados ao prêmio, considerado por muitos a principal prévia para o Oscar na categoria de Melhor Direção de Arte. Para ver a imagem dos cenários de cada filme.

Direção de Arte em Filme Contemporâneo

127 Horas
Cisne Negro
O Vencedor
A Rede Social
Atração Perigosa

Direção de Arte em Filme de Época

Get Low
O Discurso do Rei
Robin Hood
Ilha do Medo
Bravura Indômita

Direção de Arte em Filme de Fantasia

Alice no País das Maravilhas
As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada
Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte I
A Origem
Tron – O Legado

PGA e WGA anunciam seus indicados

4 jan

Dois dos sindicatos mais importantes dos Estados Unidos anunciaram seus indicados hoje. O Producers Guild Awards, o prêmio dos produtores, é considerado a prévia mais relevante do Oscar de Melhor Filme. A relação completa dos indicados segue abaixo:

 

Os filmes… (prévia de Melhor Filme):

127 Horas

Bravura Indômita

A Origem

A Rede Social

Minhas Mães e Meu Pai

O Discurso do Rei

O Vencedor

Cisne Negro

Atração Perigosa

Toy Story 3

 

As animações… (prévia de Melhor Animação):

Meu Malvado Favorito

Toy Story 3

Como Treinar Seu Dragão

 

Os documentários… (prévia de Melhor Documentáiro):

Inside Job

Waiting for Superman

Smach his Camera

Earth Made of Glass

Client 9: The Rise and Fall of Eliot Spitzer

The Tillman Story

 

A lista dos longa metragens seguiu mais ou menos a linha do esperado. Pelo menos nove dos dez indicados já tinham vaga praticamente garantida na premiação, e, portanto, no Oscar também. A única ausência inesperada foi do filme Inverno da Alma, aclamado pela crítica americana e que veio abocanhando diversos prêmios dentro do território estadunidense. Em seu lugar, ficou o mais novo trabalho do ator Ben Affleck na direção, Atração Perigosa. Ambos devem disputar a última vaga restante no Oscar de Melhor Filme, isso é, se a Academia de Hollywood não vier com mais uma de suas surpresas.

"Inverno da Alma" e "Atração Perigosa"

 

 

Dentre as animações indicadas, a presença de pelo menos duas delas já eram esperadas: Toy Story 3, que também apareceu na lista principal, e Como Treinar seu Dragão eram apostas certas e certamente estarão no Oscar na categoria. A única indicação inesperada pertence a Meu Malvado Favorito, uma animação de sucesso porém muito, mas muito ruim. Esperava-se que pelo menos dois outros filmes pudessem aparecer antes de Despicable Me. Eram os casos de Enrolados, a produção de 260 milhões de dólares da Disney, e O Mágico, aclamada animação francesa. Assim, fica difícil prever qual filme preencherá a terceira vaga no Oscar.

A única surpresa entre os documentário foi o número de indicados. Desta vez foram seis produções nomeadas ao prêmio dos produtores, dentre as quais estão filmes já bastante conhecidos de outras premiações. É o caso de Inside Job, que aborda a crise econômica mundial de 2008 através de uma análise bastante interessante, e Waiting for Superman, que trata do polêmico assunto da educação nos Estados Unidos. Suas vagas já estão garantidas no Oscar, e o prêmio talvez acabe ficando com um deles.

Imagem do documentário "Waiting for Superman"

Imagem do documentário "Waiting for Superman"

 

Já o Writers Guild Awards, mais conhecido por aí como o WGA, é o prêmio organizado pelo Sindicato dos Roteiristas dos EUA. Aqui, pelo menos duas categorias nos interessam, e são justamente essas que aparecem no Oscar: Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Roteiro Original.

O WGA possui tantas regras que fica difícil imaginar como eles conseguem escolher seus indicados. Animações nunca são indicadas e todos os anos o sindicato libera uma lista dos roteiros desqualificados para a indicação ao prêmio, considerado a principal prévia do Oscar nas categorias de script. Neste ano, um dos grandes favoritos do ano, o drama O Discurso do Rei, assim como BiutifulBlue ValentineO Escritor FantasmaAnother YearNão Me Abandone JamaisMade in DagenhamScott Pilgrim Contra o MundoInverno da AlmaZona VerdeAmor e Outras DrogasO Garoto de LiverpoolThe Way Back foram desclassificados e não puderam receber indicações. Sendo assim, a lista dos nomeados ficou da seguinte maneira:

 

Melhor Roteiro Adaptado:

A Rede Social

Atração Perigosa

127 Horas

Bravura Indômita

O Golpista do Ano

 

Melhor Roteiro Original:

Minhas Mães e Meu Pai

Cisne Negro

O Vencedor

A Origem

Sentimento de Culpa

 

"O Discurso do Rei" deve entrar no lugar de "Sentimento de Culpa" na categoria Melhor Roteiro Original.

 

 

Não fica muito difícil prever o que acontecerá no Oscar. Como O Discurso do Rei deve ser indicado em diversas categorias, incluindo Melhor Filme e Direção, o roteiro original escrito por David Seidler deve tomar o lugar do script que Nicole Holofcener escreveu para Sentimento de Culpa. E na categoria Melhor Roteiro Adaptado, o roteiro de O Golpista do Ano deve dar lugar para Toy Story 3 e Atração Perigosa disputa com Inverno da Alma a última vaga. Isso, mais uma vez, se não der a louca na Academia.


Após uma longa ausência…

3 jan

Pois é, caros amigos, cá estou de volta. Após muito tempo – mais precisamente dois meses e dois dias – sem atualizar o Sindicato, decidi que a volta às minhas atividades blogueiras já não poderia mais ser adiada. A todos aqueles que acompanhavam o blog com frequência e que sempre apareciam por aqui vez ou outra para conferir um novo texto, peço desculpas pela ausência repentina.

Aconteceram muitas coisas nos últimos tempos e minha vida pessoal deu um giro. Expandi meu universo, conheci novas pessoas, me dediquei mais à escola e mudei meio que radicalmente. Posso dizer que este que vos fala agora deixou de ser aquele autor das críticas cinematográficas e dos balanços de bilheterias. Para falar a verdade, não escrevo algo que preste desde agosto, e por mais que eu tente voltar a escrever, não consigo passar da segunda linha. Volto com o blog agora fazendo uso daquele velho jargão de reveillon: “ano novo, vida nova!”. Aqui, aplica-se melhor a “ano novo, blog novo!”. E por mais que eu acredite que meus esforços de nada valerão daqui pra frente – estou entrando em ano de vestibular – pelo menos durante esse mês de janeiro e quiçá fevereiro, vou poder matar o tédio das férias dissertando sobre meu hobby preferido: o cinema.

Espero que este novo formato do blog agrade a todos, ainda que o visual mantenha-se o mesmo. A princípio, estarei sozinho, mas os nomes dos amigos colaboradores permanecerão no blog.

Aquele abraço!

 

Vinícius D.V. Cavalheiro

Janeiro de 2011.

Sai a lista de concorrentes ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro

13 out

Saiu hoje a lista das 65 produções que disputarão o gosto do júri da Academia de Artes e Ciências de Hollywood rumo à indicação ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira do ano que vem. Países como Etiópia e Groenlândia, que nunca enviaram concorrentes antes, participam pela primeira vez da seleção. Confira abaixo a lista completa (via UOL):

Albânia
“East, West, East”, de Gjergj Xhuvani

Algéria
“Hors la Loi” (“Outside the Law”), de Rachid Bouchareb

Argentina
“Carancho”, de Pablo Trapero

Áustria
“La Pivellina”, de Tizza Covi e Rainer Frimmel

Azerbaijão
“The Precinct”, de Ilgar Safat

Bangladesh
“Third Person Singular Number”, de Mostofa Sarwar Farooki

Bélgica
“Illegal”, de Olivier Masset-Depasse

Bósnia-Herzegovina
“Circus Columbia”, de Danis Tanovic

Brasil
“Lula, o Filho do Brasil”, de Fábio Barreto

Bulgária
“Eastern Plays”, de Kamen Kalev

Canadá
“Incendies”, de Denis Villeneuve

Chile
“The Life of Fish”, de Matias Bize

China
“Aftershock”, de Feng Xiaogang

Colômbia
“Crab Trap”, de Oscar Ruiz Navia

Costa Rica
“Of Love and Other Demons”, de Hilda Hidalgo

Croácia
“The Blacks”, de Goran Devic e Zvonimir Juric

República Tcheca
“Kawasaki’s Rose”, de Jan Hrebejk

Dinamarca
“In a Better World”, de Susanne Bier

Egito
“Messages from the Sea”, de Daoud Abdel Sayed

Estônia
“The Temptation of St. Tony”, de Veiko Ounpuu

Etiópia
“The Athlete”, de Davey Frankel e Rasselas Lakew

Finlândia
“Steam of Life”, de Joonas Berghall e Mika Hotakainen

França
“Of Gods and Men”, de Xavier Beauvois

Georgia
“Street Days”, de Levan Koguashvili

Alemanha
“When We Leave”, de Feo Aladag

Grécia
“Dogtooth”, de Yorgos Lanthimos

Groenlândia
“Nuummioq”, de Otto Rosing e Torben Bech

Hong Kong
“Echoes of the Rainbow”, de Alex Law

Hungria
“Bibliotheque Pascal”, de Szabolcs Hajdu

Islândia
“Mamma Gogo”, de Fridrik Thor Fridriksson

Índia
“Peepli [Live]”, de Anusha Rizvi

Indonésia
“How Funny (Our Country Is)”, de Deddy Mizwar

Irã
“Farewell Baghdad”, de Mehdi Naderi

Iraque
“Son of Babylon”, de Mohamed Al-Daradji

Israel
“The Human Resources Manager”, de Eran Riklis

Itália
“La Prima Cosa Bella” (“The First Beautiful Thing”), de Paolo Virzi

Japão
“Confessions”, de Tetsuya Nakashima

Cazaquistão
“Strayed”, de Akan Satayev

Coréia
“A Barefoot Dream”, de Tae-kyun Kim

Quirguistão
“The Light Thief”, de Aktan Arym Kubat

Letônia
“Hong Kong Confidential”, de Maris Martinsons

Macedônia
“Mothers”, de Milcho Manchevski

México
“Biutiful”, de Alejandro Gonzalez Inarritu

Holanda
“Tirza”, de Rudolf van den Berg

Nicarágua
“La Yuma”, de Florence Jaugey

Noruega
“The Angel”, de Margreth Olin

Perú
“Undertow” (“Contracorriente”), de Javier Fuentes-Leon

Filipinas
“Noy”, de Dondon S. Santos e Rodel Nacianceno

Polônia
“All That I Love”, de Jacek Borcuch

Portugal
“To Die Like a Man”, de Joao Pedro Rodrigues

Porto Rico
“Miente” (“Lie”), de Rafael Mercado

Romênia
“If I Want to Whistle, I Whistle”, de Florin Serban

Rússia
“The Edge”, de Alexey Uchitel

Sérvia
“Besa”, de Srdjan Karanovic

Eslováquia
“Hranica” (“The Border”), de Jaroslav Vojtek

Eslovênia
“9:06”, de Igor Sterk

África do Sul
“Life, above All”, de Oliver Schmitz

Espanha
“Tambien la Lluvia” (“Even the Rain”), de Iciar Bollain

Suécia
“Simple Simon”, de Andreas Ohman

Suíça
“La Petite Chambre”, de Stephanie Chuat e Veronique Reymond

Taiwan
“Monga”, de Chen-zer Niu

Tailândia
“Uncle Boonmee Who Can Recall His Past Lives”, de Apichatpong Weerasethakul

Turquia
“Bal” (“Honey”), de Semih Kaplanoglu

Uruguai
“La Vida Util”, de Federico Veiroj

Venezuela
“Hermano”, de Marcel Rasquin

 

Os indicados ao Oscar saem em 25 de Janeiro de 2011.

 

Michelle Williams como Marilyn Monroe

9 out


Mais um para o elenco de Missão: Impossível 4

1 out

O elenco de Missão Impossível 4 acaba de ganhar uma nova adição. Foi confirmada a presença do ator Josh Holloway (da série Lost), que interpretará um dos agentes da equipe de Ethan Hunt.

O longa já conta com Tom Cruise (Encontro Explosivo), Jemery Renner (Guerra ao Terror), Vingh Rhames (Substitutos), Simon Pegg (Star Trek), e Paula Patton (Preciosa – Uma História de Esperança).

A direção ficou sob responsabilidade de Brad Bird (Os Incríveis), baseado no roteiro escrito por Josh Applebaum e Andre Nemec (da série Alias)

As filmagens serão iniciadas em Dezembro, com previsão de estréia para 16 de Dezembro de 2011.

Morre o ator Tony Curtis

30 set

O ator americano Tony Curtis, de 85 anos faleceu hoje, por volta da meia-noite, vítima de um ataque cardíaco.

Curtis ficou conhecido como um dos homens mais bonitos de seu tempo, além como um dos atores mais carismáticos que o cinema já viu. Tendo sido eleito o homem mais belo de todo o planeta, Curtis ainda namorou beldades como Marilyn Monroe e Natalie Wood.

Um de seus papeis mais marcantes no cinema foi no longa Quanto Mais Quente Melhor de Billy Wilder, considerado até hoje como a melhor comédia de todos os tempos.

Em 1959, Tony Curtis foi indicado ao Oscar por sua atuação em Acorrentados, de Stanley Kramer.